aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sábado, 10 de janeiro de 2015

falta pouco

onde estou? saber, pra quê? quieta e aprontando. escrevendo sem peso hipócrita, escrevendo com o passar das linhas em branco. o silêncio não cabe, é maior... derramou e eu durmo feliz. café, almoço e janta? também. alimentando a alma em crônicas. preparando um cardápio pra vocês - que eu amo tanto! mais um poema, é claro que eu estou... até breve em um grande circuito.