aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 25 de maio de 2016

ela.


De todo o meu sorriso, és o motivo de fazer
Dá minha lágrima, apenas a despedida.

Das tuas mãos, sou o cuidado delas
Passarei gestos sem resseca-las
Deixando agir por horas e horas
Pelo fim do tempo de todos os dias

Abraçarei teus dedos com os meus
Segurarei suave e confiante
Assim, dar-te-ei minha vida

Na palma da tua mão

quarta-feira, 4 de maio de 2016

o CAFÉ e o Amor

Se sem café
o inverno seria de má fé
eu dizia:
vem cá, que assim 
eu me expresso


Mas sem o amor
a única estação
de boa fé
seria a de um café
sozinho por gosto

Sem as coisas juntas
o inverno vira bosta
o café não passa
e ninguém se expressa!


o amor esfria
a caneca perde a alça
e nada mais presta.