aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

o eterno acaba?




Pode ter sido o primeiro amor
que me deixou abestada
assim como pode ter sido
tua partida que me tornou
desregulada
mas não duvidem, indivíduos
brindei o mal do século
reverenciando a perda
com toda a inconstância fixa
de que sofreria eternamente
mas,
ultimamente resolvi assumir
a ferida inóspita de viver
ardendo
de morrer diferente, mais rápido
depressa
do que aceitar encontrar um outro
altar particular
 "me" enganar no momento da
 promessa
foi quando que nem novela
menos um pouco que cinema
porque somos duas pessoas
feias
encontramo-nos para conversar
sobre o que faríamos com o amor eterno
as juras, as rezas
enfeitas e todas travessas?
resolvemos não verbalizar uma poeira
das respostas
deixamo-nos livremente numa só boca
num buraco oco escuro
fazendo o movimento “lingüístico”
poetar algo
e poetou, o poema nasceu e o capítulo
fechou-se
e nós, beijamo-nos e não sentimos
bulúfas de continuar mais outro beijo
e assim foi, as desculpas foram aceitas
não por mim e nem o outro
mas acho que pelo beijo
tão sem graça...
Ahhhh...
um dia era tudo
e hoje nem nada.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

desabafo de uma Bê"u"bada

Esse desabafo foi escrito aos goles de algumas porcarias inspirado na perda das nossas melhores porcarias da vida, daquelas porcarias que não sabemos valorizar quando estão ao nosso lado, quando estão nos amando com tudo aquilo que não conseguimos sentir... Com todo amor que existe na presença de duas pessoas.



Eu quero me snetir cmo se não tivesse me crido ainda. Eu qeur ser o rpinciiode uma explosão,sabe é divino quereer ser o começode muitas cisas e dentro dela o começo de quem amar, isso mesmode quem escolher para dividir uma cama e a mesmac escova de dente digo a vocês: vocês tem que estarem se sentidondo completas e gozadas também. Eu quis esvaziar esse meu corpor, tirar odo o vento das minhas veias e todo o sangue do meu coraççao, mas n consegui, verdade eu tentei ficar menos que umapoeira,mas eu voei longe muitolonge  e fui parar nos teus braços.puta merda, estou me educando a falar palavrões sabe por que?porque é uma sacanagem se doar totamente auma pessoa er você receber uma puta de uma blusinha de marca que não sebe qual é, porque se você ama vce inferniza, corre atrás, faz do seu coração um massacre  e de suas veias legitimas mangueiras de jatos de óleo esencial, se voceama vocenem ai para os outros, você falar, ri, dapum e ainda goza somente ao estar com aquela pessoa.mas te digo: puta merda, mal trata meus amigos: eu te cago de pau somente com um okhar mesmo sabendo que n terei força nenhuma para tal ação, mas o brilho diante de um amigo ´o mai honroso côo que o hino naional. Tud bem , pode ser que eu esteja pegando pesado, mas se  você é minha parte carnal e eu tamém, fala sério: quem seria a pessoa mais adequada para eu resmungar?? Pronto, essa noite eu engoli todas aas cervejas e o martini eu deixei para a nossa despedida, essa noite eu não fumei mais aquele cigarro que me ensinou a traguear, pois eu achei ridículo sentir tanta coisa ruim num ouro dia, então eu retornei a beber:> e digo va se fuder!!! Não valorizou meus passsos, pisadas e nem meu vvo nos teus braços, não ergueu pipass e nem paraquedas, digo: estou voando que nem um pássaro morto pode ser que eu enxergue mais coisas la de cima e que você ai embaixo se dedique a plantar bananas. Eu achava que era um ser atrofiado e que não sabia inventar sensações, pensava ser a imperfeita,impura e desnesta, percebi que era boa demais cm você quando o meu único amigo me disse: por que você faz todo por aqulela pessoa: sabe, e respondi: porque eu amo, mas fiquei me questionando até que ponto a gente ama sozinha, se amor for aquilo eu não quero mais amar e simplesmente viver de uma outra formas, parece que curit a vida foi uma melhor opção e se algum dia eu tiver um filho, somente o destino para fazer eu amamentar uma tamanha responsabilidade de alguém que não soube lidar como se sentir amada de um jeito incompleto. O branco no preto, o cor sim e o não, o amarelo na água e o vermelho e o coração, tem que ter vibração e vc ficar doemte de febre e girar e gritar e ranger e  se estraçalahr em pdeaçoes, e aqulea poeira que sobe vc fica olhando esperando ela baixar, mas no fundo vc se pergunta: quem eh q exlica a porcaria de um amor: ?? ninguém, vc n deve amar incompleto, é oitto ou oitentea: eu desisiti de receber a metadde, sendo que toda minha parte corpórea já foi entrege por sdex! Eu me apunhalei pelas costas e da minha frente entreguei nas tuas mãos, eu já me fiz de pandorga e do meu voo e não fiz nada porque as asas foram entregues no dia em que  a  gente se cnheceu. Me apunhalei por todos esses dias, dei o melhor e me rasguei no final. Nem costura e nem cicatriz pra guradra nada eu so quero o meu coração de volta e nada mais, ele sabe bater sozinho!!!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

apenas com um beijo


....

com um beijo é que sabemos
a quem amamos
descobrimos se é o mesmo
amor de anos

Com a troca de saliva
é que sabemos
se era tudo aquilo
que perdemos

Com a sincronia dos lábios
é que sabemos
a mútua harmonia de continuar
nos beijando

aprendi com teu último beijo
que devo valorizar
a quem me respeita
a quem me entrega fidelidade
a quem me ama de verdade

aprendi apenas te beijando
que não terá outro beijo
selando-me com lábios de folhas
ao nosso capítulo final

judiaria, tive que te beijar
para aceitar que somos
dois lábios diferentes
que merecem outros beijos

beijei-te porque você
não quis responder se
ainda me amava
da forma que me amou...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

loucos.defumados.carrancudos


..

A gente ama e tu também
todos amam àquela coisa
criatura e rapadura
não sei o quanto dura
mas dura
para desgrudar as paixõesnites
que são renites enjauladas
celas que só se permitem ir
e não admitem
quando um outro abre a porta
e assim ficamos loucos
defumados carrancudos
presos ao que não tem morte
e nem poema abotoado
pra prender a partida
tudo pra “tu”, imortal
tudo pra dizer, deixar partir
bira sentimental
pobre coração
borrachudo de mais um poema
embriago pela partida
de alcoolizar a dor, fendas
das coisas que tiveram fim
tudo corrói, a dor é dimensionada
para um lado que aprendemos
a suportar
e o outro lado a gente
nem toca pra não chorar.

..

terça-feira, 9 de agosto de 2011

alguns pontos que ficaram para frente

Também às vezes não sei se quero ou talvez queira demais. Não se resume em estar com alguém, mas simplesmente ser feliz. Encontrar o que não se dissipa, o que não se vai e o que nunca existiu nos torna impotentes em querer o que existe. Pequenas pontuações, panos e as mesmas linhas de tantos retalhos são, de certa forma, um petisco para alfaiatar o que realmente queremos. De fato esse, de fato aquilo e um tanto tudo, hoje não vejo problema algum em escrever um poema de 1989. A questão é que eu arrecem estava nascendo e também muito falada antes mesmo de começar a amar, de dar o meu primeiro grito, de me manifestar pela primeira vez... Hoje eu quero, amanhã também. Pelo qual motivo, muitas vezes, desistimos de um simples querer? Quero amar hoje, amanhã também e quem sabe pra sempre. Digo quem sabe, porque às vezes quero e às vezes também.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ferve beijo

fervilhões de beijos
árduos em duas bocas
abruptos em uma bocada
gulosos em beijadas
uivando a carne em
cada lábio mordido
a cada salivada derramada
na porção que me falta
para existir na
tua caverna escura
molhada.