aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 9 de agosto de 2011

alguns pontos que ficaram para frente

Também às vezes não sei se quero ou talvez queira demais. Não se resume em estar com alguém, mas simplesmente ser feliz. Encontrar o que não se dissipa, o que não se vai e o que nunca existiu nos torna impotentes em querer o que existe. Pequenas pontuações, panos e as mesmas linhas de tantos retalhos são, de certa forma, um petisco para alfaiatar o que realmente queremos. De fato esse, de fato aquilo e um tanto tudo, hoje não vejo problema algum em escrever um poema de 1989. A questão é que eu arrecem estava nascendo e também muito falada antes mesmo de começar a amar, de dar o meu primeiro grito, de me manifestar pela primeira vez... Hoje eu quero, amanhã também. Pelo qual motivo, muitas vezes, desistimos de um simples querer? Quero amar hoje, amanhã também e quem sabe pra sempre. Digo quem sabe, porque às vezes quero e às vezes também.

Nenhum comentário: