aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O meu Não

Redondo e pontual
Incômodo nenhum em dizê-lo
Distingo os limites das respostas



O quê? SIM ao tempo todo?
Meu caro, é vago
Atrasado e sem créditos!



O meu Não
É forte, capaz e seguro



O meu Não
É elegante e cauteloso



Ao dizê-lo: aqueço minha segurança...
Reafirmo minhas liberdades.



O sim demasiado é molengo
Afirmações interruptas
Desvirtuam teus princípios
E cortam os  pulsos aos poucos

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Pontifícia esponjosa


Encontrei-te até no escuro, achei o teu profundo...
Os teus elétrons puxaram os meus!
Somos centros radioativos, químicos e energéticos.

Nem a luz e nem a sombra
Escondem o nosso amor

Nem o que foi e nem o que será
Definirá o que sentimos Agora

Nem a sociedade e nem os animais
Irá bloquear nossa existência

Nada e ninguém
Irá comer nossa Carne

Nada e ninguém
Irá roer nossos Ossos

A tudo e a todos: brindo O amoR.

o Ar podre

O Poço que entrego às suas relíquias
É o mesmo que enterram seus ossos
Vasto fundo foi o que cavou
Usou o famoso garfo torno para cavoucar

Destrinchar a insana terra que habita,
Desejo o meu silêncio,
E minha palpita:

Que a umidade abasteça tua saliva
Que os sedimentos sustentem o cadavérico
Que os bichos da carne decompõem sua matéria
Que as pontas da cruz confirme o que fostes
Que os anelídeos afofem seu costeiro
Que o prato seja imenso para devorar o próprio sangue

Não mais, nunca mais...
Não mais nessa Terra.
Nunca mais nessa Fossa!

Aguente a síndrome dos teus nervos,
Do teu inchaço e fedor...
No teu casulo retorcido e engarrafado!

terça-feira, 27 de julho de 2010

Conexão sonora

Estado de dormencia repentina
Vozes que amaciaram minha alma
O grave, o agudo e o Timbre da sintonia
Grudaram na minha escuta as tuas ondas Sonoras


Estado saltitante anestesiado
Conexão distante que fez colidirem nossas falas
O êxtase pela saudade do Nosso mundo
A ligação que nos afirma no amoR!


É mato! Rochas! Riachos e Rios!
A brancura virgem do que aspiramos
Foi Selvagem! Pedras! Lágrimas e vazios...


Hoje, concentra o espectro de uma história.
O que partiu foram as imaturidades
Recomeçamos a doação corpo e Memória!


segunda-feira, 26 de julho de 2010

I Curso de Poesia

Foi realizado no período de 20 a 22 de julho de 2010 o I Curso de Poesias da Casa do Poeta de Santiago. As aulas foram ministradas por Alessandro Reiffer, Diretor de Cultura e Literatura. Os certificados dos participantes foram entregues na sexta-feira do dia 23, no Centro Empresarial de Santiago.


“O impaciente é aquele que perde a vergonha até de ser grosseiro!”

Partículas de um aquecimento

O quente da lareira
O derreter de uma vela
A fosca chama do incenso
A fumaça do cigarro
A tragada!

O ardono da fogueira
O borbulhar de uma gota
O arrepio de um toque
A excitação de um beijo
O desejo inquieto de se enfiar
A gana de colidir em amassos

Num aperto, o espremer vira saliva
E nossos corpos queimam
Naquela marcha lenta
E nossos lábios se afogam
Naqueles beijos arrastados
E enrolados e intensos e firmes
E que gozam minhas reticências
...
!
...



sexta-feira, 23 de julho de 2010

Restos do fim

E naquele instante: Fostes Embora!
Dissipei tuas vozes pela gravidade
Puxei da minha fome a ganância de sumir
Usei a tua frieza para aquecer o meu vazio

Mande tudo o que não for lembrança
Mande o que for sumiço, suicídio e invalidez!
Mande nada a mim.
Eu mandarei: rosas, Cinzas e lucidez...

O teu Ser

É o mistério das minhas afirmações filosóficas
É o vazio colorido que responde o meu completo
É a distância que aproxima o tempo que não existiu
É o acaso dos nossos encontros e das repulsões
É a agonia de desafiar minha garganta a gritar o teu Ser
É a vontade de me reinventar por outro caminho
É a indecisão inconveniente das minhas análises
É a incerteza de investigar o teu mais, o teu além!
É a impiedade, a batalha e a fornalha!
É a palavra que não tem escrita e nem leitores
É o saber de tudo menos do Nosso amor.
É o conquistar a todos menos minha mão
É o afastamento mais próximo e instável
É a real loucura lúcida e profética.
É a sombra que te puxa ao meu Sol.
É o fogo que nunca havia gelado em mim!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Diagnóstico


Seja mais doce ao menos hoje,
amanhã estarás habituado a falar com suavidade...
Situe-se na própria existencialidade,
deixe cada ser viver seu espírito!

Não tenha infiltrações antiéticas numa sala em que não és convidado a tomar café!
Não use as imperfeições das espécies para aliar-se a um poder que não tens: o voo!
Não aponte dedos diante dos seres humanos, refletores existem!

O Ser humano que mais fala é aquele que possui audição atrofiada!
Fala e vê. Não enxerga e não escuta. Não vive, vegeta!
Incolor e livre de qualquer aroma.
Abafa até o próprio cheiro
Sem essência e com vaidade...
É podre!
Não é humanidade...

Não queira insistir em ser quente, deixe que o sangue escolha quais veias pulsarão mais fortes!

Retalhos às avessas


Saber o alvo não quer dizer confiança!

E eu desabafo num movimento em que minhas palavras
colocam a prova meus críticos
e aliados a um único sentido
diante da Análise do Ser.
Entendeu? Ok.
Algumas escritas às suas incompreensões...

E naquele instante,
ela respirou e disse:
“Eu não entendo”!

Na maioria das vezes, se possível, não entenda!
O não abstrair entendimentos
demonstra o crescimento do que foi imaturo,
ou seja:

Entender tudo:
Sempre dizer Sim,
Amém eu entendo,
Ok tudo bem,
Pode Ser,
Sei lá, Você que sabe,
Eu entendo,
Eu entendo!
E eu sempre irei entender você!

Diante disso, desse contexto e dessas palavras, digo:
Não tenha de entender os motivos que aconteceu!
O porquê foi embora e depois enlouqueceu,
O porquê nunca amou e depois transou,
O porquê se afundou em álcool,
vomitou e se arrependeu,
O porquê disse sim,
“se” entregou,
foi embora e nunca mais voltou,
O porquê ficou vermelha,
não se expressou e apenas sonhou,
O porquê abafou, negligenciou
e após veio à tona e movimentou,
O porquê se afogou em fumaças
e fez alguém querido assegurar o cinzeiro.

Não entenda nada!
Deixe estar o que for incompreensões,
Mas nunca haja de maneira em que percas a razão!

Você não está entendendo?
 Ótimo!
São as incógnitas do crescimento,
Aprendizado e sabedoria.
A desorientação cerebral eleva o aprimoramento do único,
Terno e Significativo Raciocínio!

Permitas às perguntas absurdas reagirem diante do que não existe
e pense, pense muito, pense além,
Mas viva!
e faça procurando não entender...
É isso!!
Não basta um ponto final,
critique suas inconstâncias,
cuide-se e analise palavras incertas!
Quem vive?
É o indivíduo não entendedor,
Ele estará numa constante busca de entendimentos.
Na verdade nada se entende, tudo se busca!

Entendeu?
Ok!
Busque suas respostas...
Fim do desabafo!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

O Canto II

Nesse momento,
Que é único e verdadeiro,
Convido você:
Venha e suavize!
Deite e escute!

Pense naquilo que te faz mais forte,
Presencie minha sombra, o balanço e a significância...
Pare nesse amor:
A tua e a nossa inconstância!

Tem tudo, tem nada...
Entre crisântemos, entre Rosas...
Tem o branco, tem o fosco,
Tem criaturas, desenhos e fadas!

Tem verdades, confiança e mentirinhas...
Tem compreensão, compaixão e ironias,
Tem a lua, as estrelas e tempestades...
Tem o claro, o preto e as vaidades,

Tem tudo, tem nada...
É o completo desafiando o vazio,
É o teu sorriso, é um choro em rios...
É a união em lado algum
É o teu canto, é o teu silêncio...
É um episódio sem elencos!

É uniforme, constante e desordenado,
É objetivo, sentido e o fim...
São duas vidas, uma alma e nosso jardim.
Tem muito mais crisântemos que Rosas,

São movimentos, inquietudes e ebulições.
É também constância e várias direções...
Um dia cresceu nosso jardim
Hoje distribuo as Rosas do fim...


Conter minha alegria ao te ver?
Jamais!
Eu não lembro o que disse!
Nem o que fiz..
Resmunguei nada e fiquei imóvel!
Mas pensei em tomar um porre e dizer que te amava!
Eu pensei!
Disse nada!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Um dos Maiores presentes que recebi do Dia do Amigo foi esse E-mail, gostaria de compartilhar essas palavras com os leitores...

Creio que da forma sabe com que te conheci, nos encontramos tudo é muito bom

sabe sempre imaginei alguém assim com o caráter seu...
sei jeito serio de pessoa, quero sempre poder brincar com você sorrir toma um sorvete... Sabe quero poder nessas horas ser eu seu amigo, seu companheiro parceiro, aquele que vai estar com você tanto faz a hora o lugar...

Quais são as qualidades da Camila que eu admiro?

Essa pessoa simples, especial, cativante, honesta, esforçada, trabalhadora...

Que valoriza as pessoas pelo caráter e suas essências.
Pela amizade que ela tem porque eu me considero um amigo seu!


Um abraço destes que tira os pés do chão...

Seu jeito olha não sei falar...

Desde que eu te vi eu imaginei : credoooooo é um sonho isso

tanto que posso falar de você como se eu tivesse nascido junto com você

porque é incrível! (uma irmã) Eu imaginei isso tudo, muitas coisas saíram de minhas afirmações de que um dia o mundo iria colocar em minha vida alguém com estas qualidades e virtudes. Tanto que posso dizer que você ama sua liberdade

não admite que alguém tente te impor regras ou limites estes que você mesmo se impõem, sabendo o que é certo e é errado.

sei que você possui ciúmes mas não aqueles doentios, sabe separar o que pode ou que não pode, o que é se passar o que não é certo e o que não fica legal.

não deseja o que é dos outros, conquista tudo pra si, as coisas de uma forma natural e se orgulha muito pelo que conquistou, não desiste das coisas se não vem a solução fica ali redemoinhando em redor até achar uma solução sensata de resolver...


Ama a vida tanto a sua como a de qualquer ser, possui um dom de sempre querer o que lhe faz bem aos olhos e ao coração de estar perto.

É sincera ao extremo, mas é desconfiada tambem!

Amizade é uma só depois nunca mais é a mesma, da corda da liberdade da mesma forma que se aprontar nunca mais...


não vive de amores passados, todo mundo tem chance de ser feliz, mas quem não valoriza não lhe respeita, tambem não merece atenção.

olha to descrevendo meus pensamentos isso antes de te conhecer, e hoje eu sei que você é assim como pessoa.

pessoa essa que admiro e que sempre vou estar pronto para ajudar, porque a base de tudo é amizade que sinto por você o ato de querer bem você.

Camila você é muito especial guria, confio em você pra contar coisas de minha vida de família tudo sei lá parece que te conheço olha um tempão...
Você garantiu seu espaço no meu coração como amiga, como irmã!

Feliz dia do amigo,

Com carinho!!!!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O não Entender

Nem tudo passa, nem tudo se entende, nem tudo se vive...
Pasma e desafiadora quando não entendi,
O não entender é sinalizador de crescimento!

Não entendo coisas mornas, cinzas e carboníferas...
Não entendo o vazio, o desbocado e o impetuoso...
Não entendo a inexistência, os males e as perguntas...
Não entendo a indecisão, os temores e o pastoso...
Não entendo muitas coisas, quase nada...
Assim me torno mais completa.
Posso saber e não entender...

Sei que nem tudo é pra sempre, o eterno também finaliza.
Sei que as espécies erram, erram e erram.
Não entendo os motivos que as fazem patinarem no lodo
Sei que a burrice humana existe
Não entendo os motivos que as fazem a serem mais burras

Sei que existe o choro e ele determina um sentimento
Não entendo os motivos que as fazem subir por fraquezas alheias
Sei que o tempo é magnífico e sinalizador de tarefas
Não entendo os motivos que as fazem perderem os ponteiros e não viver...

Sei que desilusão e a perda acometem os mais fracos
Não entendo os motivos que as fazem continuarem por receitas
Sei que existe a política e a educação
Não entendo os motivos que as fazem negligenciarem a alfabetização...

Pela postura

E eu tomo posse desse frio...
Entrego-me aos ventos
Com fervura e arrepios...

E eu abençôo minhas perdas
Glorifico as tempestades
Nesse escuro, digo: fim das banalidades!

E eu levanto minha postura
Critico o imoral, o banal e a censura...
Reafirmo minha essência
Fim de papo, ou seja,
Fim de imprudência...

E eu deixo ir mais uma história...
Com dignidade, amor e glória!

E eu me deixo feliz,
Pelo fato de ser uma eterna aprendiz...

E eu sigo meus quesitos...
Sempre bem-vindos aos meus princípios!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Tudo sem nada

Nada acontece ao te olhar,
Um dia teu abraço foi tudo
Nesse momento: um vazio...

Essa sensação de andar com o vago
do quieto e do provável,
só me fazem ter a certeza do nosso fim

Nada se move,
nada acontece,
fica tudo em branco!

Então é assim, tudo sem nada!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Aos tempos

Quero sempre poder contar com minhas palavras, que essa frase glorifique meus dias...

Nada é mais vazio do que não ter uma inspiração, que esse escuro não venha até mim...

Diante de todo e qualquer processo de perda, quero sempre permitir o uso das minhas forças...

Não quero evitar as lembranças, desde que elas suavizem minha alma.

Quero contar com o esquecimento dos meus erros remotos e guardar as experiências dos fatos...

Quero dilacerar e irradiar minhas experiências produtivas e abafar o que me fez errar,

Quero também agradecer aos erros, desde que eu não os presencie novamente...

Quero fazer das minhas mágoas apenas sorrisos, conforto e crescimento.

Quero acreditar na pureza de um relacionamento, por mais que seja momentâneo.

Quero entender que todo mundo vai embora e o que fica nada mais é que um vazio que um dia foi saciado!

Quero entender a desilusão como sendo parte de uma nova etapa e que o novo venha ser o que não imaginávamos presenciar um dia...

Quero que todas as pessoas tenham a humildade suficiente diante da ajuda que precisam e que elas saibam reconhecer o que estão fazendo no mundo...

Quero descobrir o que me faz bem e o quais são as pessoas envolvidas nesse processo...

Quero compartilhar a maior felicidade da minha vida com a pessoa que eu mais amar no momento...

Quero vivenciar todas as experiências possíveis, desde que elas invadam o meu crescimento, conhecimento e o meu amor...

Quero poder um dia guardar algo só pra mim e dividir aquele segredo somente com minha essência...

Quero sentir a emoção de ter filhos, mesmo sabendo da minha vida que terei de dar a eles...

Quero poder acreditar em todas as palavras que escrevo, desde que elas sejam dignas do que realmente expresso...

Quero entender a solidão como sendo a necessidade de pensamento, desde que ela não viva constantemente dentro de mim...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Perfeito é tudo aquilo que um dia acaba!
Se jurou eternidade, prometeu imperfeição.
Perfeito foi sua partida, sua decisão...
Imperfeito: seu retorno e sua ligação!

terça-feira, 6 de julho de 2010

Desabafo


Eu não quero o amanhã, ele me enfraquece.
Sou sujeito do hoje...
Cuspo em palavras saturadas
O simples e o vago me afogam
Opiniões são formadas em instantes
E destruídas em devaneio, abismo e loucura...

Não fui feita para entendimentos
Quando me fizeram, eles sentiam prazer...
E detinham conhecimento de um novo ser
Mas a sensação foi gigantesca diante do racional
E eu, hoje: prazer em viver!

Mas não confundam com meu lado positivo
Atuo de melancolias e puro confronto
Deixo o verbo escapar de mim
E provoco nas pessoas movimentos internos

Ora, ora. Quem sou eu?
Mexendo com o ser humano,
Desafiando-o, levando a pensar...


Ora, ora. Quem são vocês?
Pra não acreditaram no meu amor...
Sou existência, sou espírito.

Ora, ora. Como estamos...
Eu estou profundamente apaixonada.
Tenham todos uma boa noite.

70% das pessoas respondem o “boa noite”.
Pensando bem, podem mudar as regras,
Vai ser divertido...
Não devemos respostas às perguntas prontas!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

C.C.J

Não fumo, mas bebo...
Posso parar de traguear;
Posso também começar a pitar!!!

"Eu tô indo me engasgar com as coisas mornas e engolir as banalidades"

O medo

Tente seguir comigo um destino?
Você pode, você consegue,
Livre-se das mágoas do passado
Você consegue, não negue!
Trago você até meu corpo
Lapido seus lábios, eu te ajudo.
É uma imensa escuridão, eu te carrego.
Retorne a esse mundo, saia do seu ego...
Volte para o universo, eu guio teus passos.
Venha para lutarmos juntos, eu ofereço abraços!
“Te dou” minha mão, te dou minha força!

Diga sim, somos todos loucos!
O sentimento já nasceu,
A conquista vem aos poucos...

Atrás desse ser humano, existe medo.
Eu te protejo, te dou meus segredos,
Venha devagar, existem muitas pedras...
“Te dou” meus pés, caminhamos sem quedas...

Veja só,
Diante do universo
Existiu um ideal perdido
O Cristo que foi morto
Renascido, condenado e absolvido!

Atrás do nosso coração,
Existiu um sentimento anestesiado
O amor que já nasceu morto,
Está sendo condenado,
Poderá ser ressuscitado!

Venho com meu terno de veludo
Fujo dos invejosos radioativos
Venha falar comigo?
Antes que alguém se lembre do passado
Antes que alguém lembre de inimigos...

Venha para lutarmos juntos
Até que um dia
Meu corpo frio seja tudo!

Bafos

Se alguém me pára numa esquina
É só pra saber da minha vida
Interrogada pelos outros e falada por todos
Mas, nada respondo às suas curiosidades,
Apenas ofereço: Bom Dia, vizinha!

E se não me pararem?
Eles atacam meus parentes
Aí que me refiro: a cura pela fala!
Alimento de alma do povo.

“Êta”, sociedade imortal,
Bem-vindos ao planeta língua!
À vontade ao usar meu nome,
Pois minhas atitudes eu ainda detenho o comando...

Não quer agir por mim, né?
É... Deter educação e respeito não é fácil,
Deixa pra mim, deixa?
Muito Obrigada pela solidariedade!

Quisera eu viver um amor tendo certeza de sua eternidade!


sábado, 3 de julho de 2010

Palavras ao nosso amor


Ele vai, ele volta...
Nosso olhar ele não solta
Purifica nossos dias
Com frescor e simpatia
É a nossa sintonia...

Siga-me,
Abra o verso e sorria
É a nossa harmonia

Envolva-me,
Vamos juntos ao horizonte
Deixamos o nosso ontem

Fortaleça-me
Façamos tudo com critério
É nossa vida, é nosso mistério...

Eternize-me
Descubra os meus segredos
É amor, é sem medo...

É intenso, é caminho, é conquista...
Faço versos e recito a canção que purifica
São teus lábios, são teus beijos,
É o teu sorriso, é o meu desejo...

É aquilo que se questiona
É aquele que não se entende
É o meu agente pensante
É o meu lado entusiasmante

Num momento, diz-se: amo-te!
Noutro tempo, diz-se: perdoa-me!
E nesse instante, lamentamos saudade,
Sempre for pra sempre: agradeço a eternidade...

sexta-feira, 2 de julho de 2010

E aí?



E aí que eu...
E aí que eu te ame?
E aí que eu respire por teus beijos?
E aí que eu suspire por devaneios?
E aí que eu viva por encantos?
E aí que eu crie o inatingível?
E aí que eu impulsione os ventos?
E aí que eu atue no centro da gravidade?
E aí que eu determine minhas chamas?
E aí que eu beba cafeína e fervor?
E aí que eu frise o correto?
E aí que eu excite minhas verdades por obstáculos?
E aí que eu sou enérgica e pulsátil?
E aí que eu tenha postura e um lado de cautela?
E aí que eu sou grata, cordial e amante?
E aí que eu admire educação e respeito?
E aí que eu tenha gentileza pela minha sombra?
E aí que eu não me acomode por gritos e choros?
E aí que eu harmonize as batidas do coração?
E aí que eu grite, berre e chore?
E aí que eu tenha melancolias catastróficas?
E aí que eu pense, cante e dance?
E aí que eu beije amores imperfeitos?
E aí que eu “exploda” por paixão?
E aí que eu defina o meu existir?
E aí que eu reflita eternamente por você?
E aí que eu esteja amando o que designo de ser humano?
E aí que eu escreva por vocês?
E aí que eu caracterize o tempo exato pra falar?
E aí?
E aí?
E aí que você vá embora e eu não implore?
E aí que os teus lábios foram beijados pelos meus?
E aí, é que eu sei que tudo aquilo que você foi não era teu ser...

E aí que eu também encontre o meu novo...?