aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Restos do fim

E naquele instante: Fostes Embora!
Dissipei tuas vozes pela gravidade
Puxei da minha fome a ganância de sumir
Usei a tua frieza para aquecer o meu vazio

Mande tudo o que não for lembrança
Mande o que for sumiço, suicídio e invalidez!
Mande nada a mim.
Eu mandarei: rosas, Cinzas e lucidez...

Nenhum comentário: