aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 2 de julho de 2010

E aí?



E aí que eu...
E aí que eu te ame?
E aí que eu respire por teus beijos?
E aí que eu suspire por devaneios?
E aí que eu viva por encantos?
E aí que eu crie o inatingível?
E aí que eu impulsione os ventos?
E aí que eu atue no centro da gravidade?
E aí que eu determine minhas chamas?
E aí que eu beba cafeína e fervor?
E aí que eu frise o correto?
E aí que eu excite minhas verdades por obstáculos?
E aí que eu sou enérgica e pulsátil?
E aí que eu tenha postura e um lado de cautela?
E aí que eu sou grata, cordial e amante?
E aí que eu admire educação e respeito?
E aí que eu tenha gentileza pela minha sombra?
E aí que eu não me acomode por gritos e choros?
E aí que eu harmonize as batidas do coração?
E aí que eu grite, berre e chore?
E aí que eu tenha melancolias catastróficas?
E aí que eu pense, cante e dance?
E aí que eu beije amores imperfeitos?
E aí que eu “exploda” por paixão?
E aí que eu defina o meu existir?
E aí que eu reflita eternamente por você?
E aí que eu esteja amando o que designo de ser humano?
E aí que eu escreva por vocês?
E aí que eu caracterize o tempo exato pra falar?
E aí?
E aí?
E aí que você vá embora e eu não implore?
E aí que os teus lábios foram beijados pelos meus?
E aí, é que eu sei que tudo aquilo que você foi não era teu ser...

E aí que eu também encontre o meu novo...?

Nenhum comentário: