aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O medo

Tente seguir comigo um destino?
Você pode, você consegue,
Livre-se das mágoas do passado
Você consegue, não negue!
Trago você até meu corpo
Lapido seus lábios, eu te ajudo.
É uma imensa escuridão, eu te carrego.
Retorne a esse mundo, saia do seu ego...
Volte para o universo, eu guio teus passos.
Venha para lutarmos juntos, eu ofereço abraços!
“Te dou” minha mão, te dou minha força!

Diga sim, somos todos loucos!
O sentimento já nasceu,
A conquista vem aos poucos...

Atrás desse ser humano, existe medo.
Eu te protejo, te dou meus segredos,
Venha devagar, existem muitas pedras...
“Te dou” meus pés, caminhamos sem quedas...

Veja só,
Diante do universo
Existiu um ideal perdido
O Cristo que foi morto
Renascido, condenado e absolvido!

Atrás do nosso coração,
Existiu um sentimento anestesiado
O amor que já nasceu morto,
Está sendo condenado,
Poderá ser ressuscitado!

Venho com meu terno de veludo
Fujo dos invejosos radioativos
Venha falar comigo?
Antes que alguém se lembre do passado
Antes que alguém lembre de inimigos...

Venha para lutarmos juntos
Até que um dia
Meu corpo frio seja tudo!

Um comentário:

Ana disse...

Muito lindo o poema, parabéns. e que o amor venha sem medo. AMEEI!