aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sábado, 29 de maio de 2010

Equilíbrio.



O que será existir?
Turbulências e desatinos, tudo baseado em sentimentos.
Um destino desafiador e apavorante,
Entregar-se, dizer sim, e mencionar: amo-te!
Desatino, abismo errante e tudo que quiseres...
Imagens e vozes,
Ilusão e sopros,
A batida da harmonia em rostos...
A visão do infinito,
O assombro pelos Deuses mais lindos.
A essência protetora
Vagões pelos ares
E erupções, sim erupções.
Um vulcão de partículas desgovernadas
Energias que tumultuam as visões
Concentração de cargas nas tempestades
Nada de equilíbrio
Sem foco, sem rumo...
Apenas seguindo a energia
Nas direções desconhecidas
Chegando a lugares mirabolantes
Conversando com elementos
Desafiando a sincronia das aves
E entregando-se ao amor...
Criação e loucura
Canções inéditas
Fórmulas sem elementos
Composição sem regras
Fatos e recordações
Lembranças...
Descrição essa denominada de existência
Destinada às perguntas
E eternamente, não obtendo respostas,
Nesse cosmo, o chamado amor...

Nenhum comentário: