aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 15 de junho de 2010

Em tais profundezas...

Aquela arborização tornou meu sentimento investigativo
dependente da sua imagem e dotou minha essência
de puro, intenso e profundo silêncio...

Aquela Lua trouxe a criatividade necessária
para relembrar nosso encontro,
e veio com tudo...
entrou naquela mata,
correu até minha existência,
padeceu sobre minhas formas,
e o escuro me levou até  você...
Uma chama enorme animou a manifestação
e nesse instante o que foi um beijo...
transformou-se  na arte do amanhecer,

Aquela pertinente floresta,
com seu aspectos morfológicos distintos
fascinantes e um tanto complexos
formas, vultos e visões...

Sombras, estrelas e a lua...
Neblina, lodo e acima de tudo:
Aquele romantismo do qual eu mencionei ao lembrar do seu rosto...
Aspectos evidenciaram o surgimento de um sentimento.
Subjetivismo e muitas paisagens...
Abstração do meu ser orientados pelos teus sussurros...

E eu padeci naquele leito escuro...
Sobre pedras rochosas e íngremes ao nosso amor...

 Usufrui das nossas vozes
A fim de imaginar mais e mais
Sobre aquele vento forte, frio e questionador...

Ainda não acordei.
Sonhar exige estar em transe,
Exige-se amar,

Era uma Floresta Encanatada...
Meramente um pensamento movido à gás...

 Desculpas, não trouxe flores...
Era um parque de preservação!!!

Nenhum comentário: