aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 29 de junho de 2010

íntegro divino


Fiz de mim o segredo diante desse fato
Fiz de mim a força necessária diante de perdas constantes
Fiz de mim a angústia cautelosa
Fiz de mim e do meu miocárdio o que nunca faltou: amor...
Fiz de meu leito o habitat da fidelidade
Fiz de mim a magnitude que espelha meu ser
Fiz de mim passos mais firmes e sólidos
Fiz de mim o riso irônico e decepcionado
Fiz de mim o fato cômico despercebido
Fiz de mim o entendimento de que não era você
Fiz de mim o puro romantismo oferecido
Fiz de mim o que não deixei aos outros fazerem
Fiz de mim a angústia necessária e produtiva
Fiz de mim e das minhas lágrimas eternas construções
Fiz de mim e do meu sofrimento o guia para o amanhecer
Fiz de mim bases íngremes para o nosso mundo
Fiz de mim um alvo de compreensões
Fiz de mim a arte da escrita e um poeta significante
Fiz de mim a percepção de um outro universo humano
Fiz de mim novos horizontes, novas culturas e novas pessoas...
Fiz de mim o desafio necessário para viver ainda mais
Fiz de mim a vitalidade guiada por tua voz
Fiz de mim alianças para um novo labirinto romântico
E, ainda, fiz delas a entrega para seu habitat original,
Elas: nem em mim, nem em você, nem em nós...
Apenas, na loja.
Fiz de mim o segredo diante desse fato, mas eram nossas!

Nenhum comentário: