aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sábado, 21 de agosto de 2010

cadê eu?


Repousei nesse sono anestesiado
cansaço mental, abafando o resgate!
prensei o impulso na coragem de levantar
e esse vento de frente arrastou minha língua
esvaiu e carregou tudo por trás...

Arredei esse peso morto, carreguei...
caiu dentro da minha sombra
puxou-me,
mergulhei no que é Luto...
afoguei a visão e adormeci...

solucei no escuro, chorei por mim!
gritei meu nome,
tentando me encontrar
cadê eu?

Aonde fui que não quero voltar?
Devo estar retornando para Casa,
indo pro meu Mundo
que não mais o Nosso!

Nunca mais Eu aqui...
to por ai, 
levando o meu luto!

Um comentário:

Nenhum Mistério disse...

Escreves muito bem.
Também vou me tornar seguidora do teu blog.

Vou voltar a ativa no blog essa semana mesmo, passe lá pelo Nenhum Mistério.

Beijos mil.