aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Esse campo

Não sei dizer...
Talvez o que não sai é o mais importante!

Esse abraço que adoça o que existe
E o campo que afofa os brotos petalados

Espetáculo é o que faz parar...
Seja o que não sai,
O que não existe,
O que não mexe,
O que não fala!

Espetacular é o íntimo...
Do que não sabe,
Do que é segredo,
Do que é guardado
Do que for lembrança!

Espetáculo espetacular:
que seja um balanço!

O frescor desse vento joga
o que não digo,
o que não sai,
e leva tudo o que for pensamentos
e deita aonde não for gravidade
e eles flutuam e embalam as folhas
e essas desfilam e dão tapete às calçadas
e essas sustentam o que não sei dizer
mas alimentam o que posso pensar

campo, frutas e flores,
calça moletom,
calçado de pelúcia
pantufa!

E a aquele que derrete o que for mágoas:
Ele, nosso Sol...
Saladas!

Nenhum comentário: