aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

só de Sacanagem



Te vi meio de longe
e já me fiz de malandra
te fiz numas palavras
e só de sacanagem
larguei o que era de boca

e se fui desbocada
no momento te amava
e isso ainda me entorta
porque fiz desse corpo
a tal verdade morta

te digo a grande coisa:
e te puxo e te pego
e agarro e não largo
te laço e te grudo

te faço comigo
esvaio perigo
te mordo
e não nego
te faço barulho
e te lanço de casa
e atiro no nada!

2 comentários:

Rose disse...

Risos... tá de sacanagem mesmo! rsss!

SolBarreto disse...

Adorei!
Combinou perfeitamente o poema e a imagem!
Amei rsrs