aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Valeuuuu torcida!



Lá vamos nós. Em primeiro arrastar de dedos, gostaria de pontuar alguns sentimentos que estão sendo expulsos pelo meu grafite. Tenho a quem agradecer todos esses momentos de abrir lábios e apenas continuar com eles abertos? Minha gana de escrever diz muito mais do que sim, diz além, ultrapassa minhas vontades e eu me devoro por dentro e carimbo o que estou sentindo por fora e, então assim eu me assumo como alguém que ainda não aprendeu a escrever, talvez seja a parte mais importante que me mantenha firme na segurança de um verso e um tanto meio que desobediente com a borracha. Aqui eu resolvi fazer algumas linhas, e quando lerem o meu ponto, quero que entendam isso como sendo as reticências do que vocês quiserem, mas tem que ser de poeiras boas, de gente boa, de indivíduos humanos e de Seres também. Vamos lá, eu explico: estou falando de pessoas que eu ainda não consegui um nome para caracteriza-las, pois não existe e se existe: eu já tenho o conhecimento, mas essa palavra que nunca sai é a que me faz não saber escrever...

Pessoas Sem Nome, obrigado Eu! Estou fazendo nesses instantes alguns lembretes reflexos do que for emoção: Casa do Poeta de Santiago: moradores e vizinhos, sócios e amigos, frequentadores e colaboradores... Enfim, cada membro daquele ambiente, contexto e esquina de trocar palavras, sugar felicidade e se embriagar de poesias. Tive a oportunidade de conhecer mais um pouco de cada indivíduo, de observar cada empenho, cada suada de rosto e molhar de camisa: o esforço de todos durante a Feira do Livro, o sorriso e abraço de cada bom: bom-dia, tarde e noite, de cada encontro: Oi novamente, alegria e alegria, como diz a Lígia...

Foram vários lançamentos de livros, obras que inundarão nossa Terra de orgulho: Em 10 Segundos é descoberto o Segredo do Sucesso em cada Faces de Ser, sendo que a Espiral e o Caracol é um Descaminho de certo tipo em Mosaico Laico, o que reúne em alguma Coletânea de Matérias, saindo da Casa e visitando leitores...

Quero ter a oportunidade de ler todas as obras mencionadas nos meus trocadilhos. De imediato, sai desses meus dedos mais um pouco de mim: Pela primeira vez, tive a satisfação de conversar pessoalmente com o Poeta Oracy Dornelles, foram alguns minutos que trocamos horas de palavras e destaco a sinceridade e tranquilidade que ele transmitiu a essa pessoa aqui e também agradecer os livros autografados que o Poeta, gentilmente, me ofereceu.

Agradeço também ao Cláudio Irion, por me considerar a mais nova integrante do Time da Terra dos Poetas. Mas, nesse time todos estão driblando para a mesma trave, sendo que a bola não é redonda por nada e sim é para que todos tenham a oportunidade de vê-la quicando em cada chute, arremesso e jogada, desafiando a gravidade. Temos juízes sim, os que nos mantém sempre firmes e direcionados a algum objetivo, temos a base mais importante dessa jogada: a torcida! É ela que nos impulsiona a arrancar versos do coração e escrever na própria pele, obrigada pela torcida de todos vocês:

Giovane Pasini, Tainã, Márcio Brasil, Roseli Antunes, Karlinha, Vanderlei, Janice, César, Oracy, Lígia Rosso, Cláudio Irion, Fernando Porto, Júlio Garcia, Olívio Bochi... Enfim, meus colegas da URI, amigos: Jhon Lenon e companhia e família! Aos blogueiros: Rafael Nemitz, Júlio Garcia, Sol Barreto, Suzzy... 

Obrigada Eu, Gooooooooool! Valeu torcida, valeuuuuu!!!!!

2 comentários:

SolBarreto disse...

É isso mesmo somos sua torcida!!
E vamos continuar sendo, pelo menos da minha parte rsrs

Janice Trombini disse...

Camilinha....adorei tua postagem e queria te dizer que para nós, Casa do Poeta, falo como uma das diretoras e principalmente como amiga, que é muito bom ter você em nosso time...Obrigada pelo carinho que tens comigo e boooooola pra frente...valeuuu!!!!