aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Que tu voltes, coração de pedra!



Que tu voltes
Dessa vez
Sem as mãos
Sem os cabelos
Sem os dois pés

Que tu voltes
Em quatro pés
E doe-os para mim
Desde que foste
Caminho no vento
E dessa vez ele não levou
Pólen de nada

Que tu voltes
Com a boca fechada
E doe para mim
Só quero voltar a sentir
O gosto do nosso batom
Num lugar escuro

Que tu voltes
Com o teu maior roubo
Imploro minha piedade
Venha a mim novamente
Meu coração
Que tu voltes
Com ele
Eu não funciono desse jeito
Que tu voltes
meu demônio
bater nas encostas desse corpo
que espera um novo sangue!

Que tu Voltes com o corpo soberbo
Nesse tempo: arquitetei-me de costas
Para a tua pele fazer estrutura aos meus órgãos!

Nenhum comentário: