aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 14 de março de 2011

Eu: molécula




Eu:
Uma gota
de molécula
Que molha
Nos canos

Nos mais finos
Pra pressão
Ser maior

Nos mais longos
Pra trajetória
Ser longa

Que eu me sinta
A pressão de uma água
De um vazamento
catastrófico

Que eu abasteça
O prazer das torneiras
De um orifício
Pra outro elemento

Que eu sacie
A sede das torneiras
Que esperam
O meu jato
Cruzando
O buraco que permite
A minha passagem

Que eu molhe
A pia
O chão
O tapete
E os pratos

Que eu limpe
As taças 
todas sujas
Para que eu possa
Ser bebida com dignidade
num gole de água divina!

Quero me sentir
Uma água galopante
Num cano estreito
Dos encanamentos

Quero me sentir
A saída do líquido
Quando as particulas
Colidem com as paredes
Da atmosfera!

Quero me sentir
Um líquido
Pra saciar
A vontade
De alguém...

Nenhum comentário: