aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 9 de março de 2011

Ah, Camões...

O vestibular da Universidade da Bahia cobrou dos candidatos a interpretação do seguinte trecho do poema de Camões:

"Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
é um contentamento descontente,
dor que desatina sem doer."

Uma vestibulanda de 16 anos deu a sua interpretação:

"Ah, Camões! Se vivesses hoje em dia,
Tomavas uns antipiréticos,
Uns quantos analgésicos
E Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
Consultavas a Internet
E descobririas que essas dores que sentias,
Esses calores que te abrasavam,
Essas mudanças de humor repentinas,
Esses desatinos sem nexo,
Não eram feridas de amor,
Mas somente falta de sexo!"


A vestibulanda ganhou nota DEZ pela originalidade, pela estruturação
dos versos, pelas rimas insinuantes e também porque foi a primeira vez que,
ao longo de mais de 500 anos, alguém desconfiou que o problema de Camões era
apenas falta de mulher.

2 comentários:

Suziley disse...

Hehehe...já conhecia essa história, Camila...hehe!! Boa noite, beijos no seu coração :)

rouxinol de Bernardim disse...

Excelente a interpretação...

Camões deve saber que a ausência da amada lhe torturava o espírito mas avivava a inspiração.