aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 4 de março de 2011

prazer da minha dor



Literalmente, ainda escuto os ecos não do meu grito e nem dos berros, mas sim do tesão que eu senti após fincar com todo meu compasso a minha epi, meso e endoderme no canto daquele móvel rústico. Gente, foi incrível, está sendo incrível, tomara que esse orgasmo não esteja beirando a saída da dor. Eu gozei, e não pensem que essa pessoa banhou as calcinhas. Negativo, muito pelo contrário: emplastei de um estágio intermediário de lubrificação o forro dessa tapa-gaita...

*Trecho do livro que estou escrevendo

Nenhum comentário: