aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 16 de maio de 2011

amo e desamo



Eu amo e desamo
Perco e despercebo
Quantos amores vão
E vêm a mim

Eu amo e desamo
Vivo e ressuscito
A cada lágrima de prata
Que vem e fica e molha
Em mim

Eu amo e desamo
Tudo isso
Porque tenho carne e osso
Pra matar a fome dos amores
Em mim

Eu amo e desamo
Mais me desamam
Como eu amo
Mas não me deixei
De amar mesmo assim
Nessa desamação a mim

Amam-me
Desamam-me:
Desproporcionalmente
E a gente sempre gosta dessa
Coisa louca desequilibrada
De amasso e desamasso!

2 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Camila
Amar e desamar, nesse vai e vem do amor, vamos colorindo a vida e vivendo novas experiências.
Bjux

Fernanda Fávero Alberti disse...

Santiaguense, né.