aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quinta-feira, 9 de junho de 2011

sina da raiva


e da raiva fiz um purê
arrebentei-a na parede
esmaguei com as costas
detonei esfregaços com a língua
até que achei um gostinho bom

dos cabelos fiz um pelego
glorificando o momento careca
redescobrindo meu desproporcional
assumindo-me disforme
clameando a velhice
de um profeta morto

da aberura fiz um bocejo
deglutindo bocas em sincronia
divino esticar fibras musculares
intensificando perdida em molares

Um comentário:

Wanderley Elian Lima disse...

Surreal, pesado mas belo.
Bjux