aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 14 de junho de 2011

veda-me, sua vedante



Bússola que permite
desorientar-me em degraus
escalda-te em meus olhos
direciona teu norte labial
nesse cosmo perdido
ao teu brilho quasar

Veda-me de longe
aprisiona-me de forma
fechada,
para que teu olho
não vaze água
não diga nada
apenas
mate-me com
a tua pupila
linda e cega

Veda-me, sua vedante
envolva-me atrás de grades
e não esqueça
de selar-me com um beijo

*foto: Tainã Steinmetz

Um comentário:

Tainã Steinmetz disse...

Eu espero não estar em nenhuma lista negra por causa do último verso, hehehe.

Ficou divino!

Beijos, e obrigada ^^