aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Cidade Maravilhosa


Esplêndidos meus sóis dos olhos
sufocados em vácuos para refletir
todo o entorno da belíssima criação divina
amorteciam as meras pronúncias
pontuando versos para meu eu interior

magnitude plena da natureza surreal
seres de todo planeta em fotos incessantes
Juerma, Tereza, Amélia e o Redentor
e eu ali, abastecendo inspirações rimadas
juntando palavras em restos da própria vida

Rio de Janeiro, poço de emoção catalogado
nas preces da minha paleontologia fossilizada
ficará pra sempre até que acabem com ela
eternizou-me sem mostrar tudo, nem dizer nada
a Cidade Maravilhosa

2 comentários:

Anônimo disse...

linda que nem tuas escritas.

Marcos Monteiro disse...

Gostei muito, parabéns...