aos dias de pôr, próxima aos do nascer

domingo, 11 de dezembro de 2011

é Ouro pra mim

Uma música, a voz que define as coisas que escrevo, a voz que transpira as permutas dos nervos, do coração e da vida. Tudo junto, a melodia que se entrega aos meus preliminares lençóis de bolinhas coloridas. Tudo junto, o amor que borbulha um tempo que nos permitiu crescer e aceitar a distãncia de uma forma garimpeira de ganhar um ouro, de ganhar um a outro, de ganhar a força de ser mais forte ainda e organizar os botões em seus devidos casacos de veludo. Tudo junto, é ouro pra mim, delicado momento em que te conheci e que me desprendi das amarras passadísticas. O que era já não era mais, as mudanças seguiam-se por cima dos ventos que faziam cada folha brotar em seus devidos galhos, o amor é assim: lindo, é uma criaça, é alma branca, poeiras coloridas que todos blindam em pintar mais uma bolinha de sabão. O amor é assim: instantâneo, ou beija e ama, ou vive amarrando o mesmo barbante, o mesmo amante...


É Ouro Para Mim

Renata Arruda


Tudo junto no meu caso rolou de uma vez só
De repente o que era já não era mais
Mudou tudo no amor
Outra cara
Outra forma de ver e sentir
O que antes eu não entendia
Agora é ouro pra mim
A cabeça mudou
Outra cara
Eu tô fora e não vou mais sair
O que eu não precisava
Agora é preciso
Amor é assim
Lindo
Tô que nem criança
Tô de alma limpa
Com você por perto
Sou mais forte ainda
Hoje eu quero luz de sol e mar
Em nova
Renovada a força
Tô feliz da vida
Sob o seu domínio
Vou mais longe ainda
E não tem nada fora de lugar

Nenhum comentário: