Sou a ti, o riso que ri. O olho que vi



Não sou de lua
nem de Marte e Vênus
eu sou eu
sendo apenas,
apenas tua

Não sou de fases
nem da TPM e do dia
eu sou a si, a si
por você, pra ti
parti-me em mil Agres
pra ti, apenas tua

Nem do hetero e do homo
nem da mulher e do homem
sou a mim, despida, nua
nua, apenas tua

Não sou de nada e do obrigada
nem da gentileza e da alteza
sou a ti, o riso que ri
o olho que vi
apenas tua
amada, amada tua

- quem dera viver assim –
pra sempre,
sempre tua
minha nada lua
lua, cheia
- sereia –
eu apenas o grão
onde te secas
na areia crua

Comentários

Orvalho do Céu disse…
Olá, querida Camila
Quem nos dera ter no coração esse sentimento de pertença cada vez mais crescente!!!
Bjm de paz e alegria

Postagens mais visitadas