aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

lú, lú, lú nossa iglú...


Eis nossas casinhas ilguídas no ar, ar de Jaguar.. Um campo de descanso do atropelamento poluído das sólidas paredes concretadas quente e "íssimasmente" quentes!!! Pernilongos bailarinos extremamente alongados, terra firme seca do mato, recanto arbóreo e o gole gole das hidromoléculas Artois de Leuven, 1366. Até mais, por enquanto, estamos cá nós no fundo do quintal da Mana. Lú, lú, lú nossas iglús. 

suplico os Sóis emergidos
aos alteres das iglús
ao campo que tanto nasce
descanso, durmo aos montes
sento o sopro do acordar
ao vento, ao sol, um céu de blue

ao bom dia, um brinde
aos amigos, um zoom

a vida tanto quanto a rotina
vem, acampa
vai, desacampa
e a gente vai, aproveita
torna, cansa, reinventa
uma barraquinha de ilgú

lá, lá, lá
lú, lú, lú
e a gente vai levando...

Nenhum comentário: