aos dias de pôr, próxima aos do nascer

segunda-feira, 2 de abril de 2012

todos os sentidos do tempo

 

o tempo eis que é de ser dele mesmo
quando rasgares a rosa verás que foste colorida
verás que foste cheirosa
verás que me pertencia

mas o tempo parece tão pouco
mas ele amadurece tanto que
poderá ser quem não era
pensar como não pensava
e aprender com o incompreensível

o tempo é divino de ser outro ser
ele é o sábio mutante
ontem era corpo vazio, voz fina
olho opaco,
aperto de mão fraco
amanhã serás repleta, vigorada
decidida,
saberás escolher quem amar ou não
saberás o que é amor...

O tempo parece tão pouco
mas com a exatidão de viver tudo
ele nunca acaba.

Nenhum comentário: