aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 25 de julho de 2012

boa noite


Boa noite, agora deite...

descanse.

o que te dar, então

amanhã de presente?



devo contar que é o tão meu amante?

fique quieto e me consuma no silêncio

amanhã será a mesma coisa

eu deito e durmo pensando que não será pra sempre



boa noite, papai do céu

sou pecadora por não ter quem me ama?

sou pecadora por amar eternamente a mesma pessoa?

sou pecadora por pensar noutras coisas na cama?



se sobre a cama eu deito, se sobre o lençol eu durmo

queria eu deitar e dormir noutro travesseiro

não existem outros meios de me saciar

apenas com meus dois seios?



confesso, meu Pai

às vezes o coração quase morre e eu enfarto em desespero

torno a recavar e regredir no tempo que um dia foi o presente

o desejo é onírico, real e impotente

a ação é de impulso, quase mordo a realidade inaceitável

de que te perdi pra sempre...



Boa note.

2 comentários:

Anônimo disse...

Bonito poema Camila, ou seria uma oração, fictícia ou real só se perde mesmo quando esta morto, se esta pessoa esta viva por que não lutar e batalhar para conquista la de vez? Os fracos se lamentam e os fortes são determinados tudo o que você quer e deseja o mundo ira te trazer de volta. As vezes a gente só tem que dar o inicio o ponta pé e aguardar... a felicidade o amor a paixão é eterna.

Camila Jornada "Análise do ser" disse...

nunca respondi a uma pessoa em anônimo... às vezes ficava pensando em quem seriam... por que não colocar o nome? por que não identificar? mas vamos lá... agradeço ao comentário e as perguntas que me questionam neste momento. Mas concordo com você que somente a morte é a perda, mas acredito num outro mundo para acontecer outra história...