aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 24 de agosto de 2012


O que ando fazendo?
Uma pergunta básica de muitos que encontro.
Uma nota esclarecedora: não estou de mal com nenhuma criatura, todos que por mim derrubaram lágrimas, sorrisos esbeltos e que compartilharam instantes da vida, jamais por mim serão deixados no meu museu interior.
Logo de imediato, compartilho uma boa notícia... Durante esses últimos seis meses estava passando pelas cinco fases de um concurso público, do qual se exigia: preparo físico, médico, intelectual e mental. Finalizei todas essas passagens com muita força de vontade! Deu certo, era pra ser...


As perguntinhas que não calam...
- E agora vai deixar de escrever poemas?
Respondo: Mas por que deveria? Devo parar? Deixar de fazer uma coisa que a gente gosta é matar a própria essência por vaidade. Esclareço essas coisinhas pelo compromisso que tenho com algumas pessoas que me seguem pelo blog. Tenho respeito perante a curiosidade dos escritores e blogueiros que eu também sigo. Eu também gostaria de saber se algum poeta, cronista, deixou de escrever, se vai deixar, como será a outra etapa da vida... São essas questões que eu chamo de elegantes.
- O que está fazendo?
Estou escrevendo para o Jornal O Editor. Mantenho uma coluna de crônicas, palpito sentimentos, coisinhas banais do dia-a-dia e assim vai...
Estou com projetos de um livro – romance. Não sei se se se se se para este ano ou para... Pois escrevo com o ritmo com que me é oferecido, não posso obrigar essa cabeça produzir forçadamente. Forçar um capítulo pode estragar com todo o livro. Aí não tem volta. Não quero estragar um sentimento tão bacana que...

### Em setembro ficarei pelo Quartel. Durante poucos termináveis 9 meses. ####
Nas horas de folga vou arrancar cri-cri e escrever.

Era isso. Estava preocupada mesmo com os leitores do blog...

Nenhum comentário: