aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 15 de maio de 2013

vida militar - parte II



Um estrondo subiu aos céus, a fumaça expirou-se ao chão
e o passo-a-passo continuava, um sinal de fogo e fumaça
mais algumas horas…
no percurso, procurávamos carambolas
frutas para nos engraçar e fazer o tempo apenas passar
com um tanto mais de doçura lisa!

Em todo momento, enxergava amoras frescas
queria apanhá-las para te presentear na volta
de uma forma pequena e suculenta…
mas estava tudo tão distante de se pensar num fim,
era como se fosse remar nas ondas dos mares
em círculos hipnotizados por si,
numa forma lenta de seguir pra trás,
de seguir por mim…



Estava de ti tão distante,
o meu abraço era como o início de um plantio
num vaso ainda sem terra, num vaso vazio


Com o cantar de toda a natureza, finalmente: a chegada
o princípio estava sendo apenas descoberto para se ir além
o começo dos objetivos interrogativos do que fazer ali…
guerrear, sobreviver e aprender a amar!
lágrimas do céu nos presentearam com suas minúsculas gotas de orvalhou
uma barraca, chão puro e sem armários…
precisávamos de algo a mais?
eu necessitava apenas lembrar você,
para te pegar na volta, te morder e crer na própria missão concluída
para me aquecer e evitar dormir o tempo que não se era dado

Um comentário:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Muito lindo o seu post!!
estou no meio de uma guerra e procurando "amoras e carambolas" para adoçar meu tempo...
Quanta lição de vida neste seu post!!! Parabéns!!!
Seja muito abençoada e feliz!!!
Bjm de paz e bem