vida militar - parte III

os nossos dedos choravam sangue pelos poros coagulados,
os calos eram apenas mais algumas marcas para ir embora, aos poucos
não dizendo nada e levando uma lição de moral, de vida e sobrevivência
registrados na próprio corpo nu e calado
 calando calos, dó desses coitados

a orientação das trilhas me chamavam a seguir um palheiro
faca na caveira a pé e a fé de nós guerreiros
batucando o coração para nos ver vencer
sem medo dos raios, do temporal e dos terreiros
de falanges árduas num elo entre nós companheiros

atrás do nosso amor, ressurgia a gana de uma batalha
correntezas nas margens das cachoeiras,
mãos amigas firmes para não morrer em cima de uma falha
coração, um eterno grão semeado junto a Deus
protegendo-me de qualquer momento de bobeira…


Comentários

Orvalho do Céu disse…
Olá, querida
De fato, Deus nos protege quando andamos distraídos...
Ótimo fim de semana!!!
Seja abençoada e feliz!!!
Bjm de paz e bem

Postagens mais visitadas