aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sábado, 14 de setembro de 2013

"se eu morresse amanhã"

 

Um dia,
a poeta aqui irá embora
e alguns dos tantos poemas
confortará alguém.

Um dia,
a poeta aqui voltará
e alguém de tantas pessoas
será o meu poema.

Um dia,
terei que enterrar
e o meu último verso
de amor será

- numa mensagem de dor,
que talvez possa ter - 

Um dia,
tudo será eterno
cobertas no mesmo véu
serás a minha musa lá do céu.

Um dia,
poeta, poetisa, 
uma pobrezinha
de tanto poema de amor... 



"se eu morresse amanhã"

"E ela fez de sua vida, uma outra vida. Fez da mesma vida, mais uma amor. Fez do mesmo amor até a última morte. Fez da mesma morte o poema de sua própria vida... Ela continuará fazendo, só que com um pouco mais de dor, caso se ela for antes de seu Amor.

Nenhum comentário: