aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 26 de junho de 2015

eu acho que...


Eu acho bonito tratar o jeito que também faz
nada mais fica feio
até as coisas mais estranhas
permitem-se a ficar belezas

Eu acho que a vida em toda a ida
seria a mais pura gentileza
que o outro se entregou por loucura
sem pensar na possibilidade de zanzar

Eu acho que a morte em toda a vida é certa
seria a mais pura bobagem
morrer todo o sentimento
que o outro, uma noite, permitiu sentir
sem pensar em como seria voltar pra casa
não sentindo lhúfas de nada


Puta que pariu,
mais da metade de todas as metades da vida
são almas divididas
a única completude que nos integra
é a experiência de largar essas metades
para que tudo, uma noite, brilhe estrela única

todas as pessoas foram céu estelar

constelação duas de um azul só

Um comentário:

Anônimo disse...

Pronto, tá dito tudo !