aos dias de pôr, próxima aos do nascer

sexta-feira, 3 de julho de 2015

sozinha de vez!


Estou sozinha
não quero mais saber
quero sentir
solitária

Sentir as palavras que repito
que repito quando escrevo
escrevo sem corrigir
grafia

Quero sentir
sentir um Déjà Vu
O mesmo dejavu futuro
viveria

Estou sozinha
sozinha eu sinto
sinto o que sentir


Sozinha de vez,
da vez que foste embora
e não senti mais

prazer

2 comentários:

Anônimo disse...

Um anônimo ansioso pelo terceiro livro.
Alguma previsão ou a POETA se perdeu?

Anônimo disse...

Belíssima! que mais dizer... Parabéns ! A beleza da poesia fala por si.