aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 22 de setembro de 2015

mas e o que tem eu com isso?

O que seria do café
sem a manhã triste
pra alegrar a alma?


O que seria do poema
Sem a palavra perda
Pra confortar alguém?



O que seria de mim
sem a tua saudade
pra bajular a expectativa
de te beijar loucamente,
como se fosse – sendo
a primeira boca?

''poco, loca. 
oca que cabe eu''.
meus encajes... 


 


O que seria da vida
sem a tua ausência
pra matar minha saudade?



O que seria dessa fotografia
Sem a imagem desfocada
Pra nos sorrir em qualquer cor?



O que seria das coisas
Sem as coisas
Pra nos fazer pensar noutras?




Mas e o que seria?
nada que me levasse 
a sério
a não ser você,
sem meus ajuizados
não se ria! 

su
poesía
sua
o verso
nu

3 comentários:

Anônimo disse...

Loucura de palavras!

Anônimo disse...

o silabado espanhol e portu. Parece que enxergo tua língua travada na pronúncia dos versos.

Anônimo disse...

e da poeta sem o café, sem a escrita!