aos dias de pôr, próxima aos do nascer

terça-feira, 6 de outubro de 2015

quando eu era saudade...



O amor já vive, vive. 
não deixe, mulher
a menina triste
contando-lhe o silêncio
O amor que vive
pode golpear a morte
seria uma tragédia
sentir a ausência dentro de si.






O amor só é estável
quando a gente manda
um babaca pastar
depois dele perceber
o vão que nos falta encaixe





depois que ele percebe a falta 
da cabeça e do olhar quebrado


depois que ele zoa com a nossa falta 
de sorriso.


o babaca percebe tudo,
mas ele é um tataca
porque sentir a ausência
é viver a saudade
na presença dela,
dela...
dela...
dela...
ninguém mais!








2 comentários:

Anônimo disse...

quando amamos, poeta, qualquer "babaca" nota os nossos sintomas: saudade, alegria, carência. Poema que ilustra um fato. Muito interessante!

Anônimo disse...

Amei

porque sentir a ausência
é viver a saudade
na presença dela