aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

SAUDADES

SAUDADE

SAUDADE das lembranças que me vinham
alguns poucos beijos, mas vinham
que nem algo que não se esperava
quando vê alguém já me dizia
“olha, amor: que linda aquela estrada”


SAUDADE da semana passada
o barulho das folhas, as recaídas
sua queda, lembrança linda

SAUDADE, sinto saudade
do cheiro de roupa  molhada
da chuva fria de verão

SAUDADE que já não incomoda
o fato de nunca mais ser lembrada
Por todos

Por nada.

Mas eu sinto SAUDADES
de tudo como será depois. 

Nenhum comentário: