aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Se eu não mais escrever







Se eu não mais escrever
fica junto a mim, até anoitecer.
põe sua boca na minha, se puder ser;
mas segure bem firme minha mão
tivesse de morrer, morrer...
entrelaçada aos teus dedos de giz
pra mim já morreria feliz/

Se eu não mais escrever
bater-me o coração
pra nunca mais ter
tê-lo no amor

Se eu não mais escrever
escreveria a morte
mas não sei do quê
apenas morreria sem saber por quê.

Sem amor.
sem crer que poderia morrer sem ver
a palavra morte numa letra descompromissada:

“Fui amor enquanto alguém pode ler”


2 comentários:

Anônimo disse...

Ual! Muito lindo!

Anônimo disse...

Ainda falta a morte viver.
Terás mais publicações do que a própria mor...