aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

papá

Quero reter
Ter-lhe
Reter-lhe
Reternamente
Eterna mente

Ter
perdidas vezes sempre.
pá sempê
pápar-te
tá?
gugu dádá.





2 comentários:

Prosélia disse...

O lIvro poeta.
POETA O LIVRO.

Anônimo disse...

Passei por ti
não consigo acreditar
que parou de anarquias
e que não precisa
mais "pegar" pra escrever
é verdade que casou?
tantas que deixou apaixonada, poeta
ou bem, poucas e boas
duas, assim e boas
queixo caído
mas feliz que ainda
consegue fazer a poesia
sem olhar pras TOP da cidade
ela tá quietinha
apaixonada
hahahahhaha