aos dias de pôr, próxima aos do nascer

quarta-feira, 6 de abril de 2016

ela já não tá nem aí

ela já nem entra mais aqui
nem lê o que tu escreves
ela já não tá nem aí

ela pensa que tu podes fazer isso por ti,
ela já não faz sorriso de mulher feliz
já não sorri mais a ti

ela já não te acorda sem o despertador tocar
já não consegue fazer por si só
ela já não está mais aqui


e eu sinto vontade de chorar
porque eu sinto pena dela
que nunca mais leu o que escrevi

ela não sabe mais onde escrevo
como escrevo, onde faço registrar
ela já esqueceu que tu és poeta
ela já não lembra mais de ti.

mas alguém viu o que a Jornada escreveu por ai!



5 comentários:

Anônimo disse...

Aplausos, o jogo de primeira e terceira pessoa: fantástico!
E a mensagem em poema, compreendida. Lindo!

Anônimo disse...

Td mundo entendeu... Inclusive a poeta que sabe que de fato, ela já não ta nem ai...

Anônimo disse...

Mas e o que importa? se te importa, se ela não está mais nem aí?
Não te importa!
Não entorta os traços;
O que importa são as letras tortas, não mortas para nós, que nos importamos com tuas palavras, quentes, doces, amargas, serenas das faces ou da face que TE IMPORTA.

Unknown disse...

Alguém leu o que a Jornada escreveu... Um beijo.

Anônimo disse...

Fato. Tu entendeu q ela não tá nem aí. Mas tu nos importa mais. Mais importante que tudo são tuas palavras que alimentam nossos dias de poesia. Perfeita.